Rua General Eldes de Souza Guedes 63
Vila Sônia - Morumbi, São Paulo
WhatsApp/Cel: (11) 98546-6900

passianotto@gmail.com

© 2018 SUPERNOVA DIGITAL por VÂNIA CAPARROZ para LUCIANO PASSIANOTO | Psicoterapeura

Quem estressa mais: filhos ou maridos?

5 situações que os maridos estressam mais que os filhos

Pode reparar que, em muitas rodas de conversas femininas, as mulheres passam da lista de desafios da maternidade para as reclamações do marido em um pulo. Isso porque tem companheiro que estressa mais que um jardim de infância inteiro. Mas será mesmo?

Sim! Segundo o psicólogo clínico Luciano Passianotto, isso é mais possível do que se imagina.

“Para lidar com os filhos, mesmo com o primeiro deles, quando você ainda não tem experiência, tudo segue um padrão, pode ser contornado com a ajuda de alguém experiente ou de um pediatra, o que dá uma sensação de certo controle. Já a relação com alguns maridos pode ser justamente o oposto disso”, explica o especialista.

Tanto que a sensação de falta de controle sobre algumas situações é uma das principais causadoras do estresse na vida a dois.

Isso acontece na sua casa? Você não está sozinha!

“Desde que a gente namorava eu tinha que pegar no pé dele por causa da maneira de se portar. O Carlos tem um jeito meio bronco que é dele mesmo. Levanta da mesa enquanto eu estou comendo, coloca o pé nas paredes, dorme em qualquer lugar...”, conta Mariana S., 31, arquiteta, casada com Carlos há 3 anos.

Já no caso de Camila P., 35, o marido não era motivo de estresse, mas virou depois que os filhos chegaram. “Tenho dois meninos, um de 3 e um de 5 anos. E quando chego do trabalho, os dois querem atenção. Eles querem conversar, contar da escola, tudo ao mesmo tempo. Se não bastasse, meu marido também entra na dança de querer falar... Parece que disputa a atenção com eles. Sério, são 5 minutos do dia que quero fugir para não aguentar aquele falatório todo”, conta a empresária, casada com Humberto há 10 anos. 

Marido tem conserto?

Os motivos não param por aí! Listamos as situações que mais estressam Mariana e Camila e, com ajuda de Passianotto, achamos um jeitinho de contornar a situação. Veja e inspire-se:

“Ele sempre diz que chega cansado do trabalho e, por ter trabalhado o dia todo, acha que não tem mais obrigações em casa”.

É preciso entrar em acordo sobre quem faz o quê, mesmo quando cansados. Obrigações não podem ser negligenciadas, independentemente dos motivos. Uma dica é eleger as tarefas mais importantes e executá-las, de modo que as não tão urgentes, se não forem feitas na hora, não prejudiquem a rotina da família. O ideal é que os dois - marido e mulher - incorporem na rotina todos os afazeres domésticos, sem sobrecarregar um ou outro. Com o tempo, isso se tornará um costume e até as tarefas mais pesadas serão fáceis e naturais para os dois.

“Ele sempre quer dormir até mais tarde, enquanto eu tenho que acordar cedo todos os dias por causa das crianças”.

Ambos os pais têm os mesmos direitos e responsabilidades. E, sim, maridos costumam ser um pouco egoístas nesse sentido. Se está difícil negociar um equilíbrio no descanso, mude a estratégia. Que tal sair para dar uma volta durante as manhãs? Você espairece e ele terá que dar conta dos filhos de qualquer jeito.

Com as crianças, consigo ter controle da situação; elas obedecem. O marido esquece as coisas que eu peço”.

Crianças são muito menos complexas que os adultos e, em teoria, são mais fáceis de lidar. Os adultos têm outras atividades que consomem seu tempo e atenção, como a vida profissional, por exemplo. Esse universo complexo do outro é algo praticamente impossível de se controlar. Não tente também achar que terá o “controle da situação” com seu marido – essa é uma receita para a frustração. Vocês precisam ser parceiros e trabalhar juntos nesse desafio que é a vida familiar.

“Ele nunca faz o que eu peço ou demora semanas, meses para fazer coisas simples, como trocar uma lâmpada, retocar a pintura da algum canto da casa...”

Pessoas têm ritmos diferentes mas, nesses casos, a razão costuma ser uma diferente lista de prioridades. Provavelmente a questão está lhe incomodando muito mais do que a ele. Vocês precisam, então, conversar a respeito, compreender o que está sendo priorizado e o porquê. Analise se é mesmo tão urgente e seja sincera sobre os motivos e sobre o quanto aquilo lhe incomoda.

“Ele sempre defende a família dele e, mesmo se vê algo errado que eles fazem, em relação a nossos filhos, não faz nada”.  

Como o assunto envolve filhos e lhe incomoda, você tem total liberdade para se posicionar, sem esperar que ele o faça. Tome a iniciativa e boa sorte!

 


VEJA A MATÉRIA ORIGINAL PUBLICADA AQUI

Please reload

POSTS EM DESTAQUE

Quem nunca? 6 frases que todo mundo deveria evitar em uma DR

1/10
Please reload

POSTS RECENTES
Please reload

PROCURAR POR TAG