Rua General Eldes de Souza Guedes 63
Vila Sônia - Morumbi, São Paulo
WhatsApp/Cel: (11) 98546-6900

passianotto@gmail.com

© 2018 SUPERNOVA DIGITAL por VÂNIA CAPARROZ para LUCIANO PASSIANOTO | Psicoterapeura

Namorados: como melhorar o relacionamento

1/28/2017

 

Depois de algum tempo juntos, a vida sexual dos casais pode começar a desapontar. Quando passa o momento inicial em que tudo é novidade e a curiosidade ocupa a maior parte do tempo do casal é preciso tomar algumas atitudes para não cair na rotina. Mas, diferente do que pode se pensar, não é apenas com brinquedinhos e novas posições que se quebra a monotonia. É necessário também que o casal se dedique fora da cama. Neste Dia dos Namorados, Revista Regional buscou dicas do psicólogo Luciano Passianotto de como as atitudes fora da cama podem melhorar vida sexual. Confira:

Sejam parceiros também fora da cama:

“Quanto melhor for o relacionamento entre os parceiros, maiores as chances deles terem uma vida sexual mais satisfatória. Amizade, cumplicidade e confiança tornam todas as experiências mais prazerosas, inclusive as sexuais. Intimidade, concessões mútuas e se importar em dar e receber prazer são muito importantes para melhorar a qualidade do sexo, e difíceis de conseguir de quem não é tão próximo”, inicia o psicólogo.

Surpreenda seu par:

“Surpreender seu par na cama ajuda muito a melhorar sua vida sexual, mas não é sobre isso que estou falando. Ações que fogem da rotina do casal costumam despertar a vontade no outro levando a momentos mais intensos. Uma mensagem durante o trabalho com um convite para ‘algo especial’, um jantar diferente sem motivo com a sugestão da ‘sobremesa’, chegar com uma garrafa de vinho para celebrar os ‘781 dias’ que vocês se conhecem… Seja sensual e abuse da criatividade”, destaca.

É importante, então dedique seu tempo:

“Tempo é cada vez mais escasso e precioso, mas deixar para ‘quando der’ vai acabar priorizando outras necessidades e compromissos e a vida sexual do casal ficará em segundo plano. Marquem ‘encontros’ para sair ou só para ficarem juntos, e reservem tempo para capricharem no ambiente, no visual, nas preliminares e no sexo sem pressa. Não dá por causa das crianças? Todos podem adorar se eles passarem uma noite com os avós. Sem chance? Que tal uma babá e uma fuga para um motel? Independentemente de onde e como, não se esqueçam de desligar os telefones.”

Cuide e goste do seu corpo:

“Você não precisa se parecer com os modelos das revistas ou outdoors para ser sexy. O apelo sexual está muito mais em como você encara e como faz sexo do que na sua aparência. Pessoas com boa autoestima são mais atraentes e mais confiantes na cama, tendendo a ter uma vida sexual mais satisfatória. Isso não quer dizer que você possa descuidar do seu corpo. Uma dieta equilibrada e exercícios físicos ajudam a ter um melhor condicionamento físico para a prática do sexo, além de aumentar seus níveis de noradrenalina, serotonina e dopamina, que produzem uma sensação de relaxamento e bem-estar muito bem vinda.”

Autoconhecimento e comunicação:

“Conheça bem seu corpo e suas zonas erógenas, e isso vai muito além de órgãos genitais. Note os pontos em todo o seu corpo que te dão prazer, masturbe-se, experimente, busque conhecer seus limites. Deixe a timidez de lado e peça o que sabe que gosta. Busque também conhecer seu par, do que e como gosta. Seja flexível e não tenha medo quando algo novo é sugerido, mas recuse algo que sabe que não gosta. Conversar sobre sexo tornam os parceiros mais íntimos e suas relações mais prazerosas.”

Valorize suas fantasias:

“Todos têm fantasias sexuais, busque conhecer as suas e as de quem está com você. A forma mais óbvia de descobrir e compartilhar fantasias é conversando sobre o assunto, mas algumas ações podem facilitar. Filmes eróticos podem dar ideias de situações, contextos ou posições que te excitam. Busque assistir e apontar coisas que você toparia, o que você tem vontade e nunca faz, ou uma cena que mais te excitou, lembrando que o objetivo não é ‘copiar’. Visitar sex shops juntos também rende bons insights.”

Separe o amor do sexo:

“Muita gente diz que sexo para ser bom precisa ter amor e isso leva a algumas confusões. Transar com a pessoa que você ama pode ser melhor, mas sexo e amor são impulsos bem diferentes, e durante o sexo deve-se aproveitar a sedução e a experiência com a pessoa que você ama de forma carnal, mesmo que em algum momento isso soe luxúria ou vulgar. Quando não se está transando (que é a maior parte do tempo) deve-se aproveitar o romantismo, o carinho e o amor de forma plena. Aprenda a separar estas coisas e aproveitar ambas melhor”, finaliza o psicólogo.

MAIS: Luciano Passianotto é psicólogo clínico, especialista no atendimento de jovens, adultos e casais. Site: http://www.passianotto.com/

 

Veja o artigo original publicado aqui

Please reload

POSTS EM DESTAQUE

Quem nunca? 6 frases que todo mundo deveria evitar em uma DR

1/10
Please reload

POSTS RECENTES
Please reload

PROCURAR POR TAG