Rua General Eldes de Souza Guedes 63
Vila Sônia - Morumbi, São Paulo
WhatsApp/Cel: (11) 98546-6900

passianotto@gmail.com

© 2018 SUPERNOVA DIGITAL por VÂNIA CAPARROZ para LUCIANO PASSIANOTO | Psicoterapeura

​O Relacionamento Após a Chegada de uma Criança

4/22/2017

Uma pesquisa realizada com mais de 3 mil mulheres revelou que ter tempo para o marido(ou namorado) quase sempre não está entre as prioridades das mulheres após ter uma criança, veja mais o que diz a pesquisa:

Segundo uma pesquisa realizada pela Crescer, o relacionamento amoroso não está entre as maiores preocupações das mães modernas.
Tanto é que 31% delas nunca saem com o parceiro sem a criança, 15% o fazem apenas uma vez ao ano e 23% conseguem essa proeza só de duas a seis vezes no mesmo período.

Para o terapeuta de casais Luciano Passianotto, os dados refletem o que ele observa no consultório. “Mas as queixas das mulheres sobre a relação são diferentes das dos homens”, ressalta. Elas reclamam da ausência de tempo, de vida social de uma forma geral, da privação de sono e também da falta de cooperação deles nas tarefas domésticas e nos cuidados como filho. Eles, por sua vez, lamentam sobre a falta de proximidade, de intimidade, da diminuição da frequência sexual e da oscilação de humor da parceira, que, desde que o filho nasceu, anda mais preocupada. O que é natural. “Uma criança traz mudanças drásticas na rotina, além de muita ansiedade, principalmente no primeiro filho. E isso gera desequilíbrio para a família. Não adianta o casal tentar se concentrar em como o relacionamento era antes, é preciso se organizar dentro da nova realidade”, recomenda o terapeuta.

Um jeito de amenizar as mudanças é encontrar um tempo dedicado somente ao casal. Foi o que fez a professora de Educação Física Estela Maria Pereira, 38, mãe de Arthur, 3. Ela criou como marido a “quarta nossa”. “Deixamos as manhãs de quarta livres para aproveitarmos só nós dois enquanto Arthur está na escola. Corremos no parque, vamos à academia ou tomamos um delicioso café da manhã juntos”, conta. A jornada de trabalho flexível de ambos faz toda a diferença. Mas, para Passianotto, mesmo que ambos não disponham de tanto tempo assim podem aproveitar os pequenos momentos. “Dar atenção para o outro, nem que seja tomar um vinho junto durante a soneca do bebê já basta. Sabendo explorar essas oportunidades é que o casal consegue manter a proximidade e o sentimento de que ainda existe afeto e romance entre os dois”, recomenda.

O que o casal tem que entender é que com o passar do tempo o equilíbrio da relação volta ao normal e que essa fase sempre é passageira, por isso não há motivos para brigas e separações com relação a isso pois a chegada de uma criança realça a alegria na casa e nos ajuda a dar mais valor em nossas vidas.

 

Veja o artigo original publicado aqui

 

Please reload

POSTS EM DESTAQUE

Quem nunca? 6 frases que todo mundo deveria evitar em uma DR

1/10
Please reload

POSTS RECENTES
Please reload

PROCURAR POR TAG